Mossoró, 17 de Agosto de 2017 - 08:26hs

Aécio volta ao Senado e se reúne com integrantes da bancada do PSDB.

Depois de mais de um mês afastado das atividades parlamentares, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou ao Congresso nesta terça-feira (4). Ele chegou por volta das 13h45 para participar de um almoço com integrantes da bancada tucana no Senado. A reunião foi realizada no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que está presidindo o partido interinamente no lugar de Aécio. Ao ser afastado, Aécio decidiu se licenciar da função. Na chegada ao Senado, ele não quis falar com a imprensa. Apenas disse que falaria mais tarde com os jornalistas, após participar do almoço do PSDB. Além disso, Aécio deve fazer um pronunciamento para se defender de acusações no plenário da Casa ainda na tarde desta terça. Histórico No dia 18 de maio, por decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo, Aécio foi afastado das atividades parlamentares. Para afastar o tucano, o magistrado se baseou na delação do empresário Joesley Batista, um dos donos da holding J&F, controladora do grupo JBS. Segundo o Ministério Público, Aécio solicitou e recebeu do empresário R$ 2 milhões que seriam utilizados para pagar seus advogados em inquéritos da Lava Jato. Em troca, Aécio atuaria em favor da JBS no Congresso Nacional. No dia 14 de junho, o Senado informou que, entre outras medidas, o salário de Aécio seria descontado em razão das faltas às sessões de votação da Casa. No mês, Aécio recebeu do Senado R$ 19,6 mil, sendo que R$ 16,8 mil, corresponde à primeira parcela do 13º salário, que foi paga, segundo a assessoria do Senado, a todos os servidores da Casa no mês. Na última sexta-feira (30), o ministro Marco Aurélio Mello decidiu desfazer o afastamento do parlamentar. Com isso, Aécio foi autorizado a voltar a trabalhar normalmente. Ele tem negado as acusações, se diz vítima de uma “armação” e afirma que não fez dinheiro com a vida pública.

04 de Julho de 2017 16:32hs

Imagem

Depois de mais de um mês afastado das atividades parlamentares, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou ao Congresso nesta terça-feira (4). Ele chegou por volta das 13h45 para participar de um almoço com integrantes da bancada tucana no Senado. A reunião foi realizada no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que está presidindo o partido interinamente no lugar de Aécio. Ao ser afastado, Aécio decidiu se licenciar da função.
Na chegada ao Senado, ele não quis falar com a imprensa. Apenas disse que falaria mais tarde com os jornalistas, após participar do almoço do PSDB. Além disso, Aécio deve fazer um pronunciamento para se defender de acusações no plenário da Casa ainda na tarde desta terça.
Histórico
No dia 18 de maio, por decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo, Aécio foi afastado das atividades parlamentares. Para afastar o tucano, o magistrado se baseou na delação do empresário Joesley Batista, um dos donos da holding J&F, controladora do grupo JBS. Segundo o Ministério Público, Aécio solicitou e recebeu do empresário R$ 2 milhões que seriam utilizados para pagar seus advogados em inquéritos da Lava Jato. Em troca, Aécio atuaria em favor da JBS no Congresso Nacional.
No dia 14 de junho, o Senado informou que, entre outras medidas, o salário de Aécio seria descontado em razão das faltas às sessões de votação da Casa. No mês, Aécio recebeu do Senado R$ 19,6 mil, sendo que R$ 16,8 mil, corresponde à primeira parcela do 13º salário, que foi paga, segundo a assessoria do Senado, a todos os servidores da Casa no mês.
Na última sexta-feira (30), o ministro Marco Aurélio Mello decidiu desfazer o afastamento do parlamentar. Com isso, Aécio foi autorizado a voltar a trabalhar normalmente. Ele tem negado as acusações, se diz vítima de uma “armação” e afirma que não fez dinheiro com a vida pública.

fonte: globo.com

Foto: Walterson Rosa/Framephoto/Estadão Conteúdo

Comentários
ÚLTIMAS COBERTURAS