Mossoró, 15 de Dezembro de 2017 - 11:10hs

Filme A Chegada

A Chegada, cuja a trama é baseada no livro The Story of Your Life, de Ted Chiang, busca exatamente demonstrar essa linha de raciocínio ao acompanhar a interação de uma especialista em línguas, que tenta desvendar o idioma alienígena e interagir com estes seres, que invadiram a terra em doze pontos diferentes, de diferentes países e regiões.

05 de Março de 2017 20:46hs

Olá pessoal,

 

Que tal uma sessão Oscar 2017? Aos pouquinhos postarei aqui sobre as produções indicadas a melhor filme. Para começar, uma ficção científica que traz uma abordagem de tensão psicológica, drama e reflexões sobre o tempo e o espaço. Estou falado do filme A Chegada (“Arrival”).

 

O filme, dirigido por Denis Villeneuve, conta uma história que se passa nos dias atuais. Acompanhamos a protagonista, Dra. Louise Banks (Amy Adms), uma especialista em linguística, que é convocada pelo Coronel Weber (Forest Whitaker) do Exército americano para, juntamento com o físico-matemático Ian Donnelly (Jeremy Renner), tentar decifrar a linguagem de alienígenas que aterrizaram suas naves em vários locais na terra e, assim, estabelecer uma comunicação com eles para descobrir porque eles estão aqui.

 

Para os que acham que filme de ficção científica é algo parecido com Guardiões da Galáxia, com naves, explosões e cenas alucinantes de lutas, A Chegada mostra que o gênero tem outra proposta, menos ação e mais reflexão.

 

O filme nos coloca num clima de tensão, pois não sabemos o que esses “visitantes” desejam nem como tudo irá terminar. A incerteza, o medo e o mistério colocam os países em estado de alerta e vão, de modo sutil, apresentando as diversas facetas do ser humano diante de uma realidade que ele não consegue compreender. Também somos apresentados, desde o início do filme, a um drama pessoal da protagonista o qual vamos desvendando durante toda a história a medida em que ela interage com os “visitantes”.

 

Uma última observação desta expectadora: não há como ver as “naves” alienígenas paradas, imóveis, flutuando, e não lembrar do “monolito” do filme 2001 – Uma odisseia no espaço, do diretor Stanley Kubrick, tanto na forma como são apresentadas como no mistério que as envolve desde sua primeira aparição. Me parece uma bela homenagem que o filme faz ao clássico da ficção científica de Kubrick.

 

Sem mais comentários para não dar spoliers! Assistam e curtam uma boa sessão!

 

 

 

 

 

Colunista: Paula Dantas

Instagram/Twitter: @paulinhaanadant

Contato: paulinha.jusf@gmail.com

Comentários
Colunista

Paula Dantas

Bazinga!

Publicitária por paixão e formação. Amante da 7ª arte muito antes de entender o que isso significava, não perde a oportunidade de ir ao cinema curtir um filme com pipoca e ver uma série debaixo da coberta. Dá um play nas músicas enquanto acompanha os memes na internet. Um sonho? Atualizar todas suas séries!

ÚLTIMAS COBERTURAS